domingo, 31 de janeiro de 2010

Putas das vacas... Ou de quem as põe a render!!!

.
Hoje recebi esta mensagem sobre os produtores de leite portugueses:


560 - decore este número! Não mande portugueses para o desemprego! Quando a SONAE (Modelo e Continente) ameaça a produção leiteira nacional, porque passou a vender "restos" importados, e outras grandes superfícies vendem, em linha branca, arroz importado, fazendo passar os produtores portugueses por momentos difíceis, faz todo o sentido ver este PowerPoint e reencaminhá-lo! É pôr em prática o que ele sugere! Mais nada .

Este número, 560, são os últimos 3 dígitos do código de barras que indica se o produto é feito em Portugal...

Ao que eu respondi:

A DECO esteve a analisar esses "restos" de leite e chegou à conclusão que a qualidade é tão boa como a dos leites nacionais, ainda há cerca de duas semanas vi essa noticia na TV...

(e isto sou eu que não vejo televisão...)


Os produtores portugueses, se querem mais vendas, que baixem os preços ou então entreguem as vacas a quem cuida delas...


Só aqui em Portugal e nos EUA se vêem "vaqueiros" a andar de jipe BMW...
Ai miguinha... Eu sei que o emprego está escasso...

Mas comprar leite português, ao dobro do preço, não vai aumentar o ordenado de quem trata das vacas, mas sim dos que recebem os subsídios por as ter...
Eu continuo e continuarei a comprar o leite que for mais barato, desde que não me saiba mal!

Ainda hoje paguei o leite
É a menos de 25 cêntimos...

Um dos leites que foi analisado foi o leite
É do modelo e a qualidade era igual... Sabe bem, tem a mesma qualidade, por alma de quem eu vou andar a pagar jipes e palácios a portugueses...?

Há quem ajude o Tahiti, eu ajudo os países de leste!

Nunca houve tanto subsídio e nunca a comida esteve tão cara...


Beijocas




Já me chateiam estes mails que circulam pela net que, de certeza, são postos a circular por um produtor de leite que precisa de mais guito para a piscina ou para as férias de 2010, pensando que os tugas ainda continuam de olhos fechados!





Querem vender??

Vão vergar a mola e não nos fodam!!!!



Mas tenho de ser eu a sustentar os empregos em Portugal, ou os empresários??

Os produtores de leite deste país são os tios que compraram herdades ao preço da uva mijona e que as forraram de vacas... Por cada vaca recebem um subsídio que em 2006 era de 2 euros por dia e por vaca... Imagino hoje em dia...

Os próximos subsídios vão ser exigidos para poderem comprar destas diversões às vaquinhas, para não entrarem em stress...!


Ou seja, as vacas dão leite, dão pelo menos um novo vitelo por ano e ainda precisam de ser subsidiadas...

Uma delícia!!

Um conselho:


Comprem destas!!!

.

14 comentários:

Xaninha disse...

as vacas (animais, claro) são tão fofas!!
tadinhas delas...

mas é assim mm...
revolta-te mulher...!!

beijinho

tronxa disse...

tb gosto dessas vacas, xaninha...













das de 4 patas!!

eheheheheh

bjnhsssssssssss

Intrometido disse...

Apoiado!!!!!
Quem fala assim não é gaga.
De facto, estamos em época de poupar ... no que se pode;
vai daí que ... sou apologista dos produtos ... baratos!!
;-)

tronxa disse...

tas como eu, intrometido!!

havia de ser mm eu a pagar a crise...

pffffff

é que se aumentasse o emprego, ou o ordenado aos trabalhadores... mas nao, o dinheiro que vem a mais é sempre para o mesmo bolso...!

ainda nao os ouvi queixarem-se que deixaram de fazer a vidinha faustosa k sempre fizeram... despedem os empregados mas nao largam os gds carros e casas, fora todos os outros gastos superfulos k têm!

puta que os pariu!!

(ando mm bem educadinha!!! mas kd me dano sou assim... mtexpressiva!! ehehehe)

bjnhsssssssssss

Salmantina disse...

Dà-lhes miga...assim se fala (ou tecla).

E jà agora permite-me retficar:o 560,nao sao os 3 ultimos numeros ,mas sim os primeiros!Burrros (com 3 rrr)

Lol

Bjinhos

Nuvem disse...

Os produtos mais baratos é que nos permitem viver
mas como já vi que gostas desses mails, vou-te enviar um sobre os ovos e os códigos dos ovos - esse não é sobre produtos nacionais, mas sobre os códigos dos ovos de galinhas de campo e de galinhas de produção em série...
Só que hoje em dia as pessoas querem a melhor qualidade ao melhor preço e não há condições de se pagar mais para ter uma qualidade semelhante mas com "melhores condições"...
enfim...

tronxa disse...

ou isso sal...

ja nem tive paxorra de ir ver o mail...

tas ver?? eu dou emprego aos espanhois!!

quem é amiga?!?!

bjnhsssssssssss

tronxa disse...

as pessoas hoje em dia querem é ser paranoicas com a alimentaçao, nuvem!!!

tanta paneleirice com a higiene, que a comida cada x mais sabe a plastico!!!

ai k saudadinhas das tascas infectas por esse pais fora...

bjnhssssssssssssssss

Nina disse...

Eu cá não ligo nada a essas merdas de marcas. É o que vier à mão, dependendo do preço.
Putas de vacas!
beijocas
P.S: já vi que não queres o burro pq tens essa em casa!:)

tronxa disse...

nada disso, nina!!! e olha k o burro, hoje, ate me dava jeito...

sempre comia as canas k eu ando a cortar!!!

eu tb compro do mais barato... desde k seja saboroso... a qualidade é uma coisa de que eu sempre desconfio!!

bjnhssssssssssssss

Anónimo disse...

Tahiti ou Haiti?

Solita disse...

Tronxinha tu és cá das minhas, sempre tudo do baratinho, (nem sempre é bom, mas pront)eu gostos dos produtos do modelo econtinente, mas tbm nem sempre são os mais baratos.

Qt ás vacas não sei como ainda não te lembras-te de ter uma.
Além do pão e dos iogurtes tbm tinhas leite, já pensas-te que maravilha.


Hehehehehh!!!!


Jokinhas

Anónimo disse...

O meu nome é Ana e vim ter a este blog por acaso. É verdade que todos temos direito a escrever o que pensamos, mas nem sempre essa perspectiva é a correcta.
Os meus pais foram produtores de leite (1974 a 1998). A minha mãe levantava-se para trabalhar ás 6:00 e deitava-se as 24:00, isto 7 dias por semana durante anos, o meu pai igual.
Não sei quais os conhecimentos que têm de produção animal, mas as vacas têm que ser ordenhadas no minimo 2 vezes ao dia, todos os dias, enquanto estão em lactção. O produtor não tem feriado, não tem dia de Natal, os meus pais nunca foram de ferias. Para além do trabalho pecuário é necessária a parte agraria para obter os factores de produção (feno, palha, silagem, etc). Cresci nisto e quando tinha 11 anos comecei a trabalhar na vacaria, depois da escola claro, isto em 1996. Chegava a casa e ia ajudar ordenhar o gado, como tantos miudos o faziam. Senti na pele cedo que temos que trabalhar para ter alguma coisa.
Em nossa casa nunca faltou comida, mas os jipes certamente ficaram para os directores das cooperativas que recebiam o leite dos produtores.
Em 1998 os meus pais decidiram não continuar com a pequena vacaria.
Eu continuei a estudar e a interessar-me pela área.
Licenciei-me em Enfermagem Veterinária e especilaizei-me em clinica, sanidade e reprodução de bovinos de leite. Fiz uma pós-graduação em Tecnologias da Produção Animal e actualmente estou acabar o Mestrado.
Tudo isto para dizer que voltei a trabalhar nas vacas, mas numa grande vacaria (cerca de 300 animais). Trabalhava entre 48 a 56 horas semanais, e estava disponivel 24horas. Porque as vacas não escolhem hora para ficarem doentes, para terem os filhotes. Trabalhar nisto requer paciencia e dedicação. Toda a produção é um ciclo e os animais não são parafusos, são seres vivos que para produzirem necessitam de bem-estar e de vigilancia por parte de quem trabalha com os animais. Esse bem-estar é dificil conciliar, com a qualidade de vida do produtor. Porque apesar dos subsidios, o custo de produção é elevado (o que não se passa em outros paises da europa pela estrutura fundiária, ou seja têm mais área de terrenos e pastagem). É verdade que foram distribuidos financiamentos para a produção agricola, mas as entidades politicas não os souberam gerir nem controlar e os produtores da altura não tinham formação necessária.
As praticas de qualidade de produção são mais exigentes em Portugal do que por exemplo na vizinha Espanha, portanto existe um esforço pela qualidade dos nossos produtos.
É claro que a conjuntura económica leva a que as pessoas não tenham grande escolha na opção marcas brancasXmarcas nacionais, mas por vezes também são opções que fazemos quanto ás nossas prioridades. Eu por exemplo priorizo a qualidade alimentar á qualidade de vestuário ou outros bens. São as opções de cada um e eu respeito.
Só não respeito a escrita ignorante, ou seja a poupança na curiorisidade intelectual.
Para terminar faço um desafio a quem escreve estas incongruencias, deliberadamente:
Venha passar 15 dias comigo numa vacaria. Venha trabalhar no duro (10 a 12h por dia), em condições adversas e a levar com merda na cara logo de manha.
Vai concerteza ver com outros olhos a realidade dos produtores de leite.
Sem mais assunto,
Ana Rosa

tronxa disse...

ana, como deve ter reparado este blog nao é para ser levado a serio...

a verdade é que em 2009 e 2010 andei a fazer recenseamento agricola e não vi nenhum produtor de leite que sofresse de grande crise.

quando eu falei dos produtores, se calhar devia ter mencionado os intermediarios, que compram o leite a tuta e meia e poem o leite no mercado a mais de 4x o preço de compra...

no entanto nem mesmo os produtores sofrem de crise, pois se assim nao fosse, a ana nao teria tirado o curso nem a empresa que a contratou lhe teria dado emprego.

eu falo assim, porque nesta casa bebemos cerca de 4l de leite por dia, pois somos muitos e sempre achei o leite um bom alimento. e acho estranho que o leite consiga chegar a portugal a quase metade do preço do que o que é produzido cá...

quanto a ir passar 10 dias consigo, nao muito obrigada, pois ja passei muitos dias a tratar de vacas e de outros animais, pois sempre tive ligaçao ao campo e a pecuaria, nao é por falta de saber o trabalho que isso dá, que falo assim, é mesmo por achar que o preço do leite portugues é proibitivo, para a maior parte das familias portuguesas.

quanto á ignorancia é como a presunçao, cada um toma a que quer..