domingo, 6 de março de 2011

A solidão

Solidão é um estado de espírito que nunca experimentei, graças à santa, mas muito mais graças a mim!

Faz-me confusão as pessoas que se isolam do mundo, não cultivam as velhas amizades e que não fazem novas...


A solidão nos idosos ainda compreendo, pois a maior parte das vezes é uma solidão provocada por os amigos e familiares mais próximos já terem morrido ou estarem mais enfiados em casa, devido à idade...

Agora a solidão de gente nova!?!?!?

Que raio se passará na cabeça das pessoas que acham que não precisam de ninguém, para viverem a sua vida? O que as fará ficarem sempre à espera que os amigos lhes telefonem ou as convidem para sair, sem nunca agarrarem no telefone para ligarem elas? O que as fará enfiarem-se em casa, sem sair à rua, a não ser para comprar os bens essenciais, fazerem um ou outro trabalho e voltarem (rapidamente) para casa para se isolarem de tudo e de todos?

Nunca compreendi esta maneira de ver a vida. E ainda bem!

Sempre cuidei dos meus amigos com carinho, sempre alimentei as amizades, as tentei manter e não as deixar escapar.

Esta solidão provoca estados de espírito, de ansiedade, de depressão, que eu nunca sofri, mas que lido com eles a toda a hora. Pois vejo-os em alguns amigos e bem que tento amenizá-los, abafá-los, matá-los, mas quem deles sofre apega-se a sentir-se assim e parece que é daquilo que gostam...

Ao fim de alguns anos (os 40 são uma idade muito fixe, mas para alguns é um tormento!) começam a cair em si e embora continuem a dizer à boca cheia que a vida que gostam é da que levam, a verdade é que se sentem sozinhos, desamparados, quase marginalizados, embora tenham sido eles a tratar de se porem nesse lugar.

Gostava de compreender porque as pessoas não acreditam que a vida é para a frente. Não pára, nem volta para trás e que chegando aos 40 querem voltar a ter 20 anos... voltarem a ter a vida que tinham nessa altura, quando não fizeram nada para a manter, perderam os poucos amigos que tinham e não tentaram sequer fazer novos. Será que não compreendem que daqui a pouco estarão com 50, 60, 70... e que nessa idade, se viverem sozinhos, vai ser a maior merda? Quem os acudirá quando precisarem de ajuda? Quem os apanhará do chão, se caírem e desmaiarem dentro de casa? Quem conversará com eles, nem que seja de banalidades? Quem terão por perto para chamarem se se sentirem mal?

Que confusão isto me faz...

Bem que passo a vida a avisar os amigos para não se isolarem dentro do núcleo familiar, pois um dia os filhos começam a sair, o marido ou a mulher saem de casa e eles ficam sós, sem saberem o que fazer e como recomeçar a vida e reatar velhas amizades.

Como é que pessoas novas, que fazem amizades internéticas, tão facilmente, não têm amigos reais?



Haja alguém que me esclareça, porque os próprios não conseguem, por mais que eu tente...

26 comentários:

Sexy na Cidade disse...

nem todos sao fortes para enfrentar a vida...nem todos sao capazes de fingir....
ha pessoas que muitas vezes têm tantos amigos e estao sempre rodeados de pessoas e continuam a se sentir sós....
é dificil =)

Nao sei o que isso é agora, mas cmpreendo...=)

Maria

Xaninha disse...

xiiii...tronxinha, olha só o ponto em que foste tocar...

sempre fui uma gaja que nunca teve dificuldade em fazer amizades! tinha colegas e amigos até "dar cum pau" e quando ia de férias com os meus pais, conhecia sempre alguém para brincar ou ir até ao café.

apesar disto, era uma pessoa solitária...
sim...solitária, apesar das tantas pessoas que me rodeavam!
por exemplo, lembro-me de me apetecer chorar na festa de aniversário de uma amiga minha, pk me estava a sentir extremamente triste. E não tinha motivo para isso, pois estavam ali dezenas de pessoas que eu adorava...

quanto ao cultivo de amizades:
sempre fui a "amigona" que estava "Lá", que ouvia, que aguentava conversas de 3 horas ao telefone, que aconselhava e que acompanhava. cheguei a sair a correr de casa dos meus avós, pk uma amiga minha me telefonou para ir com ela à farmácia, pk pensava k estava grávida! Eu tinha 14 anos...

mas mesmo assim sentia-me sozinha. porquê?
porque quando eu precisava, os meus "amigos" estavam ocupados e sempre com 1001 planos! depois, com a entrada na faculdade, cada um seguiu a sua vida, mas eu fiz SEMPRE questão de agendar jantares, convivios....etc...
começaram a aparecer cada vez menos pessoas. Umas diziam que já não se identificavam...outras começaram a namorar e o namorado não gostava de estar connosco...outras tinham a agenda cheia....

nunca deixava ninguém ficar para trás pois ia buscar as minhas colegas que não tinham carro! Ia buscá-las a casa...e ia levá-las também!!

Entretanto, chega a história que já conhecemos: eu fiquei doente e deixei de ter disponibilidade para isto. ppppffff...evaporou-se tudo...
uma amiga minha chegou-me a mandar uma mensagem "já há muito tempo que não vou a tua casa e, como não sei o caminho, não te vou visitar".
foda-se...custava perguntar a morada? custava pedir referências?
é tão fácil chegar aqui...
depois, mais tarde, esta mesma "amiga" mandou-me uma mensagem "quando estiveres melhor avisa, que é para pormos a conversa em dia".
Eu mandei-lhe uma mensagem a perguntar se por acaso tinha alguma doença contagiosa...e porque é k nao podiamos conversar naquela altura!

Quando fui internada, o pessoal da faculdade soube. Não recebi uma SMS...
em casa, os meus pais andavam doidos de preocupação e perdiam a paciência com tudo...!A minha avó já é velhinha e pouco sai da cama, pois tem muitas dores na coluna! As minhas primas são do piorio, pois só cá vêm a casa quando é para receber a prenda dos anos ou do natal...! O meu marido trabalhava e só chegava a casa às 20h...
Ora, estava praticamente 1 dia INTEIRO sozinha...sozinha comigo e com pensamentos de merda que me ocorriam à cabeça, que mt lutei para k nao se concretizassem...

acredita...
não é bom estar sozinha!!!!!

no entanto, há outro tipo de solidão:
por exemplo, aprecio os meus momentos de solidão para fazer as coisas que gosto, sem ter ngm a opinar ou a meter o bedelho! solidão para me mimar à vontade e pensar só em mim! :)
esta solidão é diferente pk não é uma solidão triste, mas sim necessária.

xiii...k testamento...
sorry..

beijoca*

Xaninha disse...

ah, esqueci-me de dizer o mais importante:
acredito que haja pessoas que são voluntariamente solitárias.
conheco uma rapariga (deve ter perto de 36/37 anos) que é tipo bichinho do buraco! Não sai...não quer conviver...nada...
depois, quando estamos com ela, ainda tem a distinta lata de mandar bocas "ah, ngm quer saber de mim! vou ser velha e vou morrer praqui, que ninguém vai dar conta"...

Eu fico a olhar pra ela e digo: "oh rapariga, achas que isso tem alguma lógica?????? Tu não vens pk não queres! TU DIZES PARA TE DEIXAREM EM PAZ e agora vens com essa conversa mórbida? Foda-se..pareces a canalha, que faz birra só para chamar a atenção"...

xiça...

há de tudo:)

cassamia zaratustra das metamorfoses disse...

existe cada vez mais o cultivo do individuo, o acesso rápido, intantãneo ao produtos nos quais tambem ja se começa a incluir a "pessoa".... frutos dos tempos muitos dirão, a verdade é que acredito que se deve principalmente à personalidade de cada um, às escolhas de cada um :(
... e sim, existem diferentes tipos de solidão...

por outro lado ainda bem que existem estes "cafés" blogueiros ou chatleiros onde alguma dela pode ser, de uma forma bizarra, um pouco diluida :) por exemplo, eu gosto de saber das tuas cenas apesar de não te conhecer :)

Libelinha☆ disse...

É pahhh... Isto é conversa que dá pano para mangas!...

Mas parte da minha história resume-se ao inicio do comentário da Xaninha... Estava para todos mas quando eu precisava eles fugiam!... Ora porra, se é assim prefiro não estar para ninguém!...
Claro que estou para muita gente mas... Depois de tanto estalo na cara, siga para a frente que vem gente!...

Beijinhos ;P

tronxa disse...

pois, maria, mas eu nao compreendo...

sempre fui um "bicho social" e nao entendo como as pessoas nao percebem que precisam umas das outras e so vivendo em comunidade podemos ser completos.

alias, vejo o que acontece com quem se isola e acho estranho que nao tentem mudar a maneira de ser e estar na vida...

mas isto sou eu, que sou "esquisita"!!!

ehehehhe

bjnhsss

tronxa disse...

xaninha, eu sou completamente diferente. a essa amiga que dizia nao saber a morada, teria mandado sms com a morada escrita, se ela nao me viesse visitar entao era porque nao queria vir, nesse caso a coisa ja piava mais fino e passava para o rol dos conhecidos, mas mesmo assim nao deixava de a visitar ou de falar com ela...

eu sempre sou aquela que procura os amigos, aquela que vai a casa deles sempre que passa por perto, aquela que avisa novos amigos que é um perigo mostrarem-me onde moram, porque quandoo passo por perto, passo sempre para dizer ola!

acho que so assim se consegue manter as amizades... e os meus amigos fazem o mesmo comigo.

outra coisa, o sentires-te sozinha no meio dos amigos... acho que nao eram amigos mesmo, porque com os verdadeiros amigos nos falamos o bom e o mau e eles proprios percebem quando estamos mal.

ja me aconteceu amigos desligarem o telefone e pouco depois aparecerem ca em casa, "por nao terem gostado da minha voz ao telefone"!

ja me aconteceu abrir a porta de casa e ter sacos com comida, por andar a passar alturas menos boas economicamente.

quando me estive a passar "para o lado de lá" tive sempre amigos por perto, que nao me deixavam sozinha 5 minutos do dia, ate o pai dos putos chegar.

ja tive fases muito boas e fases muito más na minha vida e nunca deixei de estar acompanhada pelos amigos. mas tb nunca deixei os amigos desamparados... eles sabem que podem contar comigo, assim como eu sei que posso contar com eles e só a esses eu chamo de amigos, mas mesmo assim sao muitos, muito mais do que a maior parte das pessoas têm, e por isso me sinto feliz com o circulo de amigos que criei ao longo da vida e outros que vou criando ainda agora.

acho que nunca achei que ja me bastavam os amigos que tinha e por isso nunca achei que nao pudesse ser amiga da proxima pessoa a aparecer na minha vida. ainda hoje ando a cultivar as futuras amizades fortes, que comigo serão para a vida, pois aos amigos temos de os compreender, mesmo nas fases menos boas das suas vidas.

tenho 45 anos, xaninha, e até hoje so deixei de falar com uma amiga e foi por ela ter posto a minha amizade em causa, quando lhe foram encher os ouvidos e mesmo assim nem foi por isso, foi por achar que tinha toda a razao e nem quis ouvir a minha versao, isso eu nao admito.

por vezes temos de ser nós a procurar as pessoas, por que a tendencia delas é afastarem-se de toda a gente, ou seja, hoje em dia ha tendencia para as pessoas se isolarem nos seus nucleos familiares com 1 ou dois amigos que por vezes se encontram. se nao os queremos perder, ha que os procurar e voltar a trazer para a realidade. é uma questap de nao querermos perder os velhos amigos ou de nos estarmos a cagar para eles... se nos estivermos a cagar para eles, é porque nao eram amigos, eram so conhecidos!

mas esta é a minha visao de amizade, ha quem tenha outras... cada um que tenha a com que vive melhor... mas nao se isolem, isso é que é uma merda, pois as ideias de merda so vêm germinar em momentos de solidao!!

bjnhssssssss

tronxa disse...

cassamia, eu tenho um nucleo de "amigos" interneticos de quem gosto muito. acho importante conhecer outras maneiras de ver o mundo, outras opinioes, outros estados de espirito, etc...

a internet veio ajudar a isso, pois conheço pessoas dos quatro cantos de portugal e de alguns lados do mundo, bem distantes.

muitos deles nao conheço, alias conheço bem poucos, pessoalmente, mas nutro verdadeiras amizades com algumas pessoas que me visitam e que eu visito. mas mesmo assim nao me chegaria...

preciso saber dos amigos, amiude. gosto de mandar e receber sms deles, saber como estao a correr as coisas. saber se estao por perto para irmos por a escrita em dia em qualquer sitio. de saber se precisam de alguma coisa. gosto de ter amigos a baterem-me á porta, que venham de surpresa, gosto de fazer o mesmo, aparecer porque estava de passagem e parei so para lhes dar uma bjufa!

estes espaços cyberneticos sao muito bons complementos, mas nao sao suficientes, para nos saciarmos socialmente!

e quem se isola do mundo real, para viver no cyber espaço, geralmente dá-se mal... isto digo-o eu, por experiencia que tenho tido com amigos bem chegados que andam agora a bater com a cabeça na parede e eu nao lhes consigo valer, pelo menos enquanto eles nao admitirem que nao estao bem...

felizmente uns ja perceberam o mal que fizeram, mas para eles vai ser bem dificil regressarem ao "mundo dos vivos". sabem que eu estou cá, por nunca ter desistido deles, mas o resto das pessoas afastaram-se de tal maneira que nao sei se será reversivel...

o tempo o dirá...

bjnhssssssss

(hoje é so testamentos!!)

tronxa disse...

devo ser uma mocinha de muiiiiiiiiiiiiiita sorte, libelinha, pois sempre que precisei, tive sempre o apoio dos amigos. uns mais outros menos, mas sempre me apoiaram.

e mesmo aos que me apoiaram menos nunca virei as costas, pois sei que nem sempre podemos ajudar os amigos que estao a precisar e que ha pessoas que se predispoem mais que outras a ajudarem-se...

nao ha porque levar-lhes a mal se desta x ajudaram menos que os outros... se calhar tb eles estavam a precisar de ajuda, ou nao... sei la!

bjnhsssssssss

Libelinha☆ disse...

E fazes por isso, hehehehe!...

Mas no meu caso foi mais por não estar lá... Não lhes dar a boleia que precisavam... Não poder alberga-los durante o fim de semana por estar a passar uma fase menos boa, simplesmente ficarem chateados e deixarem de falar... Mesmo eu querendo voltar a estar com eles!... Então nesse caso temos pena!... Existem por aí muita gente compreensiva!...

Sei bem que nem sempre podemos estar disponíveis... Nós para eles e eles para nós!... E comento isso muitas vezes com a Caracoleta!... Entendemo-nos muito bem porque compreendemos que nem sempre podemos estar disponíveis... =)

Mas não quero estar a escrever testamentos, lol!...

Beijinhos ;P

PS: e vê lá se aprendes depressa o caminho aqui para nossa casa =D

oops!!! disse...

Cá ando, sedento de leitura...

Já posso dormir descansado, que o assunto está bem entregue.

;)

Nuvem disse...

Tronxinha... que ponto tu foste tocar :)
Eu assumo que, ao contrário do que as pessoas acham, sou um pouco bicho do mato.
Tenho resmas/paletes de conhecidos, alguns até se consideram amigos, mas amigos... são muito poucos.
O andar por fora não ajudou muito, mas compreendi que as minhas verdadeiras amizades são poucas e raras.
Não sou muito de ligar (detesto telefones), mas sempre que um amigo (dos raros) precisa eu estou lá para ele.
Infelizmente quando tenho um problema tenho tendência a isolar-me, em vez de os procurar, o que faz com que eles, como tu dizes, vão desaparecendo.
Mas vou lutando contra isso, contra a vontade de estar sozinha, no meu canto. E arranjo mil e uma actividades para sair.
Claro que com a nuvenzinha isso fica muito mais fácil e não quero, não posso e não vou ser um bicho de mota.
Vou conviver com outras pessoas, arranjar outras actividades, novas amizades e, mais importante, cultiva-las, como fazia quando estava em França (foram só 2 anos, mas em que aprendi verdadeiramente o que é ter amigos e cultivá-los).
Aqui, no mundo em que me movimento, a maioria acha que a amizade é para saídas à noite, ginásios, etc... e para mim a amizade é ires um dia a casa de um, no outro à de outro, sairem para passear sem ser sempre para compras, etc...
Eu tentei durante alguns anos - organizava saídas, jantares, cinemas, etc... mas cansei-me quando percebi que quando eu não fazia ninguém fazia... nem queria fazer. Isso não é amizade.
Cansei-me quando precisei e vi que os colas dessas noites/saídas se afastavam...
Hoje estou a aprender a lutar contra esta tendência de solidão, porque tal como a Xaninha tambem eu me sinto muitas vezes só no meio da multidão.

Isto está longo e confuso, mas +e complicado falar de um estado de espírito destes...
Só que quero ser uma melhor amiga, para os amigos, e uma conhecida para todos os outros :)
beijocas

Green Eyes disse...

Solidão é uma coisa e isolamento outra... podemos estar "isolados" e não sentir solidão... estar rodeados de muitos amigos e sentirmos solidão... acho que é mais uma coisa connosco do que com os outros...
Ou não sou de muitas amizades, faço até questão de afastar certas pessoas, já esperei dos amigos e não tive, nunca deixei de ajudar mesmo os não amigos, e... nunca senti solidão, já me senti só, um dia ou outro, mas só não! :)
Beijinhosss
(este é um tema que é bom para se conversar "cara a cara", assim fica muito por dizer...)

tronxa disse...

se os amigos deixaram de te falar por nao teres podido ajudar numa altura, nao eram amigos, libelinha!

os amigos nao deixam de falar por coisas estupidas, ate podem chatear-se connosco ou nos com eles, mas nunca se deixa de falar a um amigo... é preciso que seja algo bem mais grave que qualquer desses motivos.

quanto ao caminho... nao é problema de nao o saber, libelinha, pois rapidamente aprendo o caminho para acsa dos amigos, é mais é falta de guito!!!

bjnhsssssssss

tronxa disse...

bgda oops e dorme bem!!

bjnhsssss

tronxa disse...

nuvem, se nao gostas de ligar, aparece em casa deles!!!

eu costumo dizer que "quem nao aparece, esquece!" e nem é por mal... a verdade é que se tu nao apareceres, nao telefonares, nao te encotrares com os teus amigos, as pessoas vao deixando de ter afinidade com aquilo que és e com o que fazes e, consequentemente, contigo!


conheço pessoas que ficam muito chateadas porque os amigos tais nunca mais ligaram. quando lhes pergunto quando foi a ultima x que ligaram aos ditos amigos, dizem-me essa perola "ah e tal, eu nao gosto de falar ao telefone!". ora porra! entao se eles nao ligam, por alma de quem é que acham que é obrigatorio os outros ligarem?

acho que as pessoas estao a ficar com a amizade com sentimentos iguais que com os parceiros. intransigentes, exigentes de perfeiçao, querem por regras tamanhas que as amizades nao sobrevivem.

é que a amizade é uma coisa solta, livre, é porque sim e sem explicaçao, nao é para estarmos a pensar nela, pois ela flui.

bjnhssssssss

Nuvem disse...

Tronxa, acho que é uma questão de mentalidade.
Eu estou sempre a convidar pessoas para irem lá a casa, mas sou incapaz de ir a casa de alguém sem ser convidada... o que queres, mentalidades.
Se me disserem, aparece lá domingo ou assim, sou capaz de ir (avisando que vou), mas se disserem quando quiseres aparece... já me custa mais.
mas como disse, é mentalidades, ou educações.
Com isto não quero dizer que sou exigente com os amigos, mas confesso que quando é sempre o mesmo lado a dar (eu)... ao fim de um tempo (por norma mais largo do que deveria) acabo por me cansar... o que leva a que a amizade acabe.
Mas, como te disse, assumo que ando a aprender a ser uma boa amiga (além de estar sempre disponível). Ando a aprender a cultivar a amizade, a manter contacto, etc :)

Com isso, não quero dizer que me sinta uma solitária, ou solidão.
Adoro os meus momentos de solidão, mas luto para que não se tornem permanentes :)

beijocas

tronxa disse...

esses momentos nao sao de solidão, nuvem, sao de isolamento, o que é completamente diferente!!

devemos dar sempre os passos que forem precisos para estarmos bem com os amigos... umas vezes ate podemos discutir, mas a verdade é que nada ha que nao se resolva, quando existe amizade!

os amigos geralmente é que vem ca a casa, ate por que tanto eu como o meu irmao gostamos de receber, isso nada tem a ver de andar a contabilizar as visitas de um lado e do outro... ja nao falaria com a minha melhor e mais antiga amiga, se pensasse assim, pois ela ja deve ter ca estado umas largas dezenas de vezes e eu so devo ter ido a casa dela meia duzia delas...

para mim, nada tem a ver essa coisa de eu visitar para os outros me visitarem!

mas nao passo perto de casa de um amigo sem que pare e va fazer uma visita, é preciso que esteja com muita pressa para nao o fazer.

sao mentalidades sim, e educaçao tb pois lembro-me do meu pai ficar todo contente de encontrar amigos de infancia ou do liceu!

sempre vivi numa casa cheia de amigos, deve ser por isso que ajo do mesmo modo e penso desta maneira.

bjnhsssss

Nuvem disse...

Tronxinha, acho que é complicado explicar o que sinto (talvez um dia que eu passe no Cidra consiga explicar).
Não se trata de contabilizar visitas, isso não é assim. Mas é verdade que o que sinto é que quando as coisas são só de um lado, não é amizade mas interesse. A amizade não se vê só nas visitas, até porque os meus melhores amigos estão a milhares de km de distância e mantemos contacto frequente.
Só que esses "amigos" que só estão presente quando eu organizo algo e que depois nunca estão disponíveis nem para retribuir nem para apoiar quando necessário, não são amigos, pelo menos para mim. Claro que demoro séculos a perceber isso (ou então percebo logo que tenho algum problema), mas também não guardo mágoas ou rancores. Simplesmente deixo de fazer coisas e percebo que se não alimentar eu (fazendo coisas ou estando presente), essa "amizade" morre.
Mas não se trata de não receber amigos ou de eu ter de visitar para ser visitada... é um conjunto de coisas que faz com que culmine nisso... não consigo explicar bem.
Quanto à educação, é verdade que foi mais antiquada. Se bem que sempre tenha podido levar os amigos que quisesse, nunca fomos muito de passar noites em casa dos amigos, ou de férias sozinhos, etc...
talvez por isso esta coisa de não ir visitar sem ser convidada...

mas são formas diferentes de estar :)

beijocas

tronxa disse...

acho que é dai que começa a maneira de ver a amizade, sim, nuvem.

eu entendo o que queres dizer, mas eu nao tenho disso. deve ser por saber escolher com quem devo investir numa amizade e com quem so devo investir num conhecimento...

ehehehe
bjnhssss

Nuvem disse...

Hehehe
agora é que disseste tudo :)
Eu confio sempre nas pessoas, em todas, e por vezes invisto em amizades que nunca deveriam passar de conhecimentos.
Com esta idade já devia saber melhor, mas continuo na minha nuvem ;)
beijocas
e Bom Carnaval :)

Green Eyes disse...

Ora bem... eu não tenho direito nem a um beijinho?!...
Só não amuo porque és tu, srª D. Tronxa... :P
;))

Bom dia :))))

brisa disse...

Xtina miga...
Se me conhecesses há 20 anos dirias que aquela não seria esta...
Mas aquela anda cá dentro...só que já não dá tantas consultas...agora só dou de mim a quem não me absorve ,mas sim se partilha comigo!
Amo as pessoas ,não sou desconfiada,mas envelheci um cadito e isso faz-me mais cuidadosa!
Mas uma coisa é certa ,a solidão faz parte de nós ,mas convem que seja salutar!
Este tema é simples e intrincado,um antagonismo porreiro...
E tu a miuda mais fofa do pedaço!
Beijos miga ...que te partilhas comigo!

tronxa disse...

nunca é tarde pra aprendermos, nuvem!

bjnhssssss

tronxa disse...

ohhhhh green, sorry!!!!

como os comentarios eram todos munto grandes e eu sou uma naba, passei o teu...

acho que tens razao quando dizes que a solidao esta dentro de nos... e cada um alimenta-a á sua maneira.

bjnhssssssssssss green e desculpa la a minha nabice!! ehehehe

tronxa disse...

brisa, a idade dá-nos isso, discernimento, que é coisa que quando somos mais novos nao temos muito... eu pelo menos no tinha!

chamos que sao todos iguis e que sao todos uns queridos, por vezes apanhmos desilusoes, o que nao faz, necessarimente que nos desacreditemos da especie humana.

nao te conheci ha 20 nos, nem faço a minima ideia de como serias (alias, ja nem me lembro de como eu era!! ehehehe), mas hoje em dia és uma moçoila bastante coerente na gestao das tuas limitaçoes, e das tuas aptidoes como convem sermos todos, aos 40!

a solidao, quando saudavel, é salutar sim, mas quando se torna involuntaria, nao a desejo a ninguem!

bjnhssssssssssssssss kida!